O Programa de Pós-graduação em Artes (PPGArtes) tem como objetivo formar mestres e doutores em Artes visuais com ênfase na contemporaneidade; desenvolver a capacidade crítica e reflexiva relativa aos problemas da arte; capacitar docentes para atuação no sistema de ensino, em todos os níveis; promover pesquisas de excelência a partir dos campos propostos em suas linhas de pesquisa. Orienta-se pela Produção de Arte, a Crítica de Arte, a Teoria da Arte, a História da Arte e o Ensino da Arte bem como outros saberes que, de modo multidisciplinar, sustentam a arte como problema epistêmico, sensível, cultural, plástico e político. A ênfase do Programa recai sobre o exame e a elaboração de processos artísticos, por meio das relações entre forças conceituais que norteiam suas cinco linhas de pesquisa atuais.

Objetivos Gerais:

  1. Participar de forma consistente dos processos de produção e transmissão de conhecimento no campo das artes e da cultura, a fim de proporcionar melhor compreensão dos problemas relacionados à criação, fruição e reflexão crítica, historiográfica e teórica no campo da Arte e da Cultura Contemporânea, estabelecendo uma intervenção qualificada nas práticas de pesquisa e experimentação.
  2. Constituir um espaço de pesquisa e reflexão sobre a Arte e a Cultura Contemporânea, nos campos da produção, dos discursos teóricos e dos processos de construção de sentidos, reunindo saberes institucionalmente dispersos de maneira a adensar e complexificar os estudos e experimentos de arte e cultura.
  3. Propiciar aos profissionais e docentes uma formação histórica, crítica e artística que desenvolva sua capacidade criativa, reflexiva e crítica.

 

 

Objetivos Específicos:

  1. Responder à necessidade de formação de artistas, docentes e pesquisadores, atendendo à demanda crescente de profissionalização, aperfeiçoamento e especialização do campo da Arte e da Cultura, contribuindo para melhorar qualitativamente a produção, a pesquisa e o ensino.
  2. Reunir grupos e núcleos de pesquisadores relacionados com a problemática imediata da Arte e da Cultura Contemporânea, articulando reflexões teóricas e prática artística, a partir da compreensão do compromisso comum com a qualidade contemporânea de suas realizações.
  3. Criar conexões estreitas entre ensino, extensão e pesquisa, por meio da área de concentração, das respectivas linhas de pesquisa, das disciplinas oferecidas e dos projetos desenvolvidos pelos docentes.
  4. Continuar e aprofundar as diversas pesquisas que vêm sendo desenvolvidas no Instituto de Artes e em outros setores da UERJ relacionadas à questão da Arte e da Cultura Contemporânea.
  5. Empenhar-se pela qualificação da atuação profissional de artistas, historiadores, críticos e teóricos da arte e professores, capacitando-as para o exercício processual da arte ou para a atuação em instituições culturais, de pesquisa e de ensino.
  6. Disseminar os resultados advindos da produção e da pesquisa acadêmicas na área.

 

 

Premissas conceituais

  1. Articulação entre prática artística e reflexão teórica, não apenas por desacreditar nessas fronteiras já tão combatidas, mas sobretudo por entender que a nova multiplicidade, densidade e complexidade da instância teórica da arte e da cultura exige a formulação de um novo saber, erguido na convergência (ou divergência) de estudos vários.
  2. Compromisso com a cultura contemporânea, não apenas no que se refere à problematização dos fenômenos artísticos e culturais da atualidade, mas igualmente no que tange à formulação de um pensamento histórico – portanto atual – que fundamente o estudo da arte e da cultura, mesmo em seus fatos mais antigos ou tradicionais.
  3. Compreensão vasta da arte, de forma a não perpetuar superadas separações de linguagens.
  4. Estímulo a experimentos artísticos e culturais enquanto manifestações múltiplas, na confluência de variadas linguagens, poéticas, processos e questões conceituais, além de entendê-los como parte integrante de processos mais amplos de culturalização, institucionalização e teorização.

 

Área de concentração:
Arte e cultura contemporânea

Entendemos o contemporâneo não como sinônimo de atualidade, e sim como uma determinada e singular qualidade reflexiva do fenômeno artístico e cultural, que pensa o tempo e o espaço que os constitui e as formas de elaborá-los. O compromisso fundamental é com a incorporação, de forma deliberada e consciente, dos dilemas recentes que estão envolvidos na criação, fruição e investigação do fenômeno artístico. Mais do que uma ênfase nos acontecimentos artísticos atuais, essa proposição pretende destacar a problematização contemporânea da Arte, tanto em sua dimensão fenomênica, quanto em seu valor histórico e cultural. O que significa, por um lado, dialogar de forma estreita com os problemas contemporâneos da arte e da cultura e, por outro, questionar as próprias fronteiras disciplinares dos campos de saber acadêmico que compõem os estudos realizados no PPGARTES.

Gerência PPG Artes

Luciana Lyra

Atriz, encenadora teatral, dramaturga e escritora. Coordenadora e docente permanente do Programa de Pós-graduação em Artes no Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), docente adjunta efetiva do Departamento de Ensino da Arte e Cultura Popular na mesma universidade. Docente colaboradora do Programa de Pós-graduação em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (PPGT-UDESC). Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas e pós-doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGARC-UFRN). PhD. em Antropologia pela Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), é Mestre e Doutora em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas (IA/UNICAMP). Especialista em Ensino da História das Artes e das Religiões pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e bacharel em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É coordenadora líder do grupo de pesquisa e extensão intitulado MOTIM – Mito, Rito e cartografias feministas nas Artes (UERJ/CNPq) e é co-criadora dos ENCONTROS ARCANOS, evento acadêmico-artístico anual, dedicado aos estudos do imaginário e suas interfaces com as artes da cena, a antropologia e a psicologia profunda. Dirige seu próprio estúdio de investigação UNALUNA- PESQUISA E CRIAÇÃO EM ARTE, em São Paulo. Com ênfase em processos criativos, atua principalmente nos seguintes temas: atuação, teatro, dança, performance, encenação e dramaturgia. Na seara teórica, sua investigação dirige-se aos estudos das Antropologias do Imaginário e da Performance e aos estudos feministas, sempre na interlocução com a criação artística, em especial no campo das artes da cena.

PROJETO DE PESQUISA:
ARTE DE F(R)ICÇÃO: MITO, RITO E CARTOGRAFIAS FEMINISTAS
O projeto visa relacionar pautas do ideário feminista à noção de experiência (rito/performance) e às narrativas simbólicas (mito), ajudando a expandir os horizontes de pesquisa em artes, para além das fronteiras clássicas que apartariam os estudos artísticos dos campos da antropologia, da filosofia, da psicologia e da religião, colaborando para perspectivas pós-disciplinares e quebra das rígidas bordas epistemológicas. Em meio a esta trama de campos de conhecimento, procura-se fomentar a compreensão da arte na sua dimensão performática, liminar e @ artista/pesquisador@ como operador de um campo de f(r)icção, na medida em que trafega no entrelugar do real/ficcional, na lida com níveis profundos de si no imaginário cultural, em processo de autoexploração e atrito entre arte/vida pela via da cena performática. Neste projeto são abarcadas pesquisas que se vinculem a processos autorais em arte, em especial nas artes performativas, partindo de mitologias pessoais para criação, assim como investigação de contextos de alteridade, que dialogam com camadas de pessoalidade, transitando pela seara dos feminismos plurais e das questões de gênero.

Denise Espírito Santo

Denise Espírito Santo é Professora Associada do depto. de ensino da arte e cultura popular do Instituto de Artes da UERJ, professora do programa de pós-graduação em Artes – PPGArtes. Dramaturga e diretora artística da coletiva Medéias, coordena o projeto Zonas de Contato, atuante desde 2011 que vem realizando um trabalho de formação artística com artistas e grupos do interior do estado do Rio de Janeiro. Como dramaturga e diretora teatral, realizou os seguintes projetos: “Às margens de Medéia”, primeiro espetáculo da trilogia que itinerou por algumas cidades do Brasil; “O marinheiro escritor”, textos de Qorpo-Santo; “Um longo sonho do futuro”, com textos de Lima Barreto; “As rosas de Noel”, musical inspirado nas canções de Noel Rosa dentro do centenário de nascimento do poeta da Vila. Atualmente, dedica-se à montagem teatral e produção do curta-metragem “Como adubar terras áridas”, junto à coletiva Medéias. É autora dos livros “Poemas de Qorpo-Santo”, pela Ed. ContraCapa, 2000; “Miscelânia Quriosa”, pela Ed. Casa da Palavra, 2004; Editora das publicações “Medéia e suas margens”, lançada em 2018 e “Abrace sua vulnerabilidade”, junto com David Gutiérrez a ser lançado em 2021.

Área de pesquisa:
Dedica-se ao estudo e investigação sobre circuitos e/ou territórios de arte e cultura da cidade cujos trabalhos se inscrevam sob o emblema da diferença e da alteridade. Os projetos culturais e as ações artísticas que compõem esta pesquisa colocam em primeiro plano a escuta com os processos de criação e sua pertença ao universo das cartografias do corpo/cidade; suas ressonâncias afetam também o exercício docente junto às disciplinas do curso de artes visuais (licenciatura) do Instituto de Artes da UERJ e também no programa de pós-graduação em artes (PPGArtes), expandindo para as orientações e experimentos artísticos desenvolvidos no âmbito do projeto Zonas de Contato, atuante desde 2011 e contando com financiamento FAPERJ e CNPq. O recorte de algumas destas proposições buscam intensificar uma reflexão sobre a diáspora africana e as “amefricanidades” no contexto social e cultural da sociedade brasileira contemporânea, mais especificamente o impacto desta história no campo da educação, da arte, da saúde e cultura.
PROJETO DE PESQUISA:
1. CASA ATELIÊ – responde por uma interface entre arte, saúde e educação com o fim de subsidiar ações de pesquisa, de produção de metodologias visando a manutenção de um ateliê experimental localizado em duas unidades de saúde do Hospital Universitário Pedro Ernesto, HUPE, a saber: Vila da Psiquiatria e Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente. Configura-se como projeto inter-transdisciplinar envolvendo as áreas: Artes, Saúde, Educação.
site: Casa Ateliê https://casaatelieuerj.wixsite.com/casaatelie
2. ZONAS DE CONTATO – afina-se com uma proposta de formação artística e de intercâmbio cultural voltada para o fortalecimento das pesquisas artísticas, teóricas e pedagógicas que fundamentam o trabalho de atores, diretores, pesquisadores, coreógrafos, estudantes e grupos de teatro da cidade e do interior do estado do Rio de Janeiro. O projeto se dá na qualidade de residência artística e de intercâmbio cultural, investindo na formação desses grupos e coletivos. O projeto vem sendo financiado desde 2012 pela FAPERJ, produções mais recentes: “Medéia e suas margens”, montagem teatral, 2017-2019; “Como adubar terras áridas”, curta-metragem, 2020-2021, publicação “Abrace sua vulnerabilidade”, 2021.
site: Zonas de Contato https://zonasdecontato.wixsite.com/medeia