Área de Investigação

Maria Berbara é doutora pela Universidade de Hamburgo e ensina História da Arte na UERJ desde 2005. Especializou-se em arte italiana e ibérica produzida entre os séculos XV e XVII, assim como em história cultural, globalismo na Primeira Época Moderna e intercâmbios intelectuais no mundo atlântico. Atualmente pesquisa a história da França Antártica, a imagem global dos Tupinambá e a relação entre arte, doenças e processos de conversão no mundo atlântico durante a primeira modernidade. Seus projetos individuais e coletivos de pesquisa foram financiados pela Fundação Getty, Villa I Tatti, DAAD/Alemanha, INHA/Paris, Fapesp, Faperj, CNPq e Capes. É procientista e bolsista de produtividade do CNPq.

PROJETO DE PESQUISA:
CIRCULAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL ENTRE A ITÁLIA, A PENÍNSULA IBÉRICA E AS AMÉRICAS DURANTE A PRIMEIRA ÉPOCA MODERNA
Descrição: Os objetivos centrais deste projeto são a investigação da recepção da tradição clássica durante a primeira época moderna, bem como do trânsito de linguagens artísticas entre Itália, a Península Ibérica e América Latina nesse período. Oriento teses e dissertações nos seguintes campos: edição e tradução, ao português, de fontes fundamentais da literatura histórico-artística produzidas entre os séculos XV e XVII; pesquisas sobre a tradição clássica, e investigações que considerem a circulação de linguagens artísticas, discursos, livros e objetos de arte entre diferentes zonas do globo. Temas de interesse mais específico são a representação do sacrifício no mundo atlântico durante a primeira modernidade; a história cultural das pandemias, com ênfase no continente americano durante os séculos XVI e XVII; a França Antártica e seus desdobramentos; o conceito de império e suas translações, e a imagem global dos Tupinambá.