Docentes

Arte, pensamento, performatividade

É artista visual, com formação em Artes Visuais e especialização em Linguagens Artísticas e Educação pela Faculdade Brasileira de Teatro / Faculdade de Artes. Possui mestrado e doutorado em educação pela Universidade de Brasília UnB. Atualmente é pesquisadora e professora colaboradora do Programa de Pós-graduação em Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e atua como professora adjunta do Departamento de Educação da Faculdade de Formação de Professores da UERJ. Suas pesquisas e publicações discutem as relações existentes entre os processos culturais da contemporaneidade, as poéticas urbanas e as expressões artísticas. É autora de O aprendizado da cidade: limiares e poéticas do urbano, tese de doutorado publicada pela Editora Annablume. É coordenadora do grupo de estudos e de experimentação de linguagens “Arte, Educação e Cultura Visual: Interconexões, Práticas e Reflexões” - FFP/UERJ.

PROJETO DE PESQUISA:
EXPERIÊNCIAS E SABERES INDISCIPLINADOS
Este projeto tem como objetivo investigar os saberes não hegemônicos constituídos nos fluxos e contra fluxos dos espaços limiares da arte em suas demarcações fluidas e territórios híbridos, nas dinâmicas culturais e sociais que produzem e constituem os processos artísticos. Tenciona-se um exercício de pesquisa transdisciplinar voltado para os interstícios e entre lugares de uma gama de práticas: as rodas culturais das periferias, o espaço da instalação, o tempo transitivo do corpo em performance e outras profanações poéticas quer seja no campo da exploração teórica, quer seja no campo da criação artística. Nos nossos dias, este espaço impuro é também um espaço de diversidade, pois conviver com as impurezas do mundo contemporâneo é conviver com a sua diversidade, decorrente, entre outras coisas, das misturas e hibridismos da arte entre gêneros, suportes, técnicas, tecnologias, mídias e linguagens. Propomos em nosso projeto relacionar as cartografias simbólicas dos entre lugares de expressões artísticas, dinâmicas culturais e sua performatização como acontecimento que reorganiza os paradigmas que estruturam a percepção dos espaços da arte na nossa contemporaneidade. No rastro de W. Benjamin interessa-nos o discurso em curto circuito, na tensão entre a produção artística e a produção acadêmica.

Arte, pensamento, performatividade
Luciana Lyra

Atriz, encenadora teatral, dramaturga e escritora. Coordenadora e docente permanente do Programa de Pós-graduação em Artes no Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), docente adjunta efetiva do Departamento de Ensino da Arte e Cultura Popular na mesma universidade. Docente colaboradora do Programa de Pós-graduação em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (PPGT-UDESC). Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas e pós-doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGARC-UFRN). PhD. em Antropologia pela Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), é Mestre e Doutora em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas (IA/UNICAMP). Especialista em Ensino da História das Artes e das Religiões pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e bacharel em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É coordenadora líder do grupo de pesquisa e extensão intitulado MOTIM – Mito, Rito e cartografias feministas nas Artes (UERJ/CNPq) e é co-criadora dos ENCONTROS ARCANOS, evento acadêmico-artístico anual, dedicado aos estudos do imaginário e suas interfaces com as artes da cena, a antropologia e a psicologia profunda. Dirige seu próprio estúdio de investigação UNALUNA- PESQUISA E CRIAÇÃO EM ARTE, em São Paulo. Com ênfase em processos criativos, atua principalmente nos seguintes temas: atuação, teatro, dança, performance, encenação e dramaturgia. Na seara teórica, sua investigação dirige-se aos estudos das Antropologias do Imaginário e da Performance e aos estudos feministas, sempre na interlocução com a criação artística, em especial no campo das artes da cena.

PROJETO DE PESQUISA:
ARTE DE F(R)ICÇÃO: MITO, RITO E CARTOGRAFIAS FEMINISTAS
O projeto visa relacionar pautas do ideário feminista à noção de experiência (rito/performance) e às narrativas simbólicas (mito), ajudando a expandir os horizontes de pesquisa em artes, para além das fronteiras clássicas que apartariam os estudos artísticos dos campos da antropologia, da filosofia, da psicologia e da religião, colaborando para perspectivas pós-disciplinares e quebra das rígidas bordas epistemológicas. Em meio a esta trama de campos de conhecimento, procura-se fomentar a compreensão da arte na sua dimensão performática, liminar e @ artista/pesquisador@ como operador de um campo de f(r)icção, na medida em que trafega no entrelugar do real/ficcional, na lida com níveis profundos de si no imaginário cultural, em processo de autoexploração e atrito entre arte/vida pela via da cena performática. Neste projeto são abarcadas pesquisas que se vinculem a processos autorais em arte, em especial nas artes performativas, partindo de mitologias pessoais para criação, assim como investigação de contextos de alteridade, que dialogam com camadas de pessoalidade, transitando pela seara dos feminismos plurais e das questões de gênero.